DOENÇAS FEMININAS

                                  OLÁ AMADAS
Hoje eu estava lendo sobre doenças femininas,que se não 
Tomarmos cuidado,pode nos acometer.
Por isso no nosso blog feminino,se fala um pouco de cada
Coisas,que fazem parte do dia a dia das mulheres!!
Que nosso mundo sejam feita de coisas Boas e Coloridas,
Mas,sabemos que não é sempre assim!!
Por isso aqui vão dicas e explicação sobre o conhecimento da
Mulher!!   





Conhecer para entender, essa é a questão, existem alguns transtornos femininos quem nos abatem em determinados ciclos da nossa vida, alguns sintomas isolados que às vezes não sabemos identificar, segue aqui algumas informações sobre algumas doenças tipicamente femininas e seus sintomas mais peculiares.
Endometriose– é uma doença que está relacionada ao ciclo menstrual, em média atinge 10% das mulheres em idade fértil ocorrendo com mais freqüência nas mulheres com mais de 35 anos, porém em alguns casos a endometriose pode-se desenvolver na adolescência em pacientes que tenham parentes de primeiro grau que já tenham desenvolvido a doença. É uma doença silenciosa, pois não apresenta sintomas imediatos. O diagnóstico só éfeito entre mulheres de 25 a 35 anos e que já tenham tido filhos.
O nome dessa doença vem da palavra Endrométrio que é a camada que reveste o interior do útero e que é expelida durante a menstruação se a mulher não engravidar. A endometriose caracteriza-se pelo implante de células endometriais fora do útero, sabe-se que a incidência vem aumentado, porém especialistas ainda não sabem ao certo a causa. Alguns especialistas acreditam que o estilo de vida da mulher moderna contribui para o aumento da doença, a tendência hoje em dia é a mulher demorar mais para casar em conseqüência a gravidez tardia expõem mais as mulheres aos ciclos menstruais,as que optaram em não ter filhos , não amamentam ou as que adiam mais a chegada do segundo filho são mais suscetíveis a desenvolverem á doença.
Fique atenta a cólicas com certa resistência a melhorar com medicamentos e que incapacite a exercer suas atividades diárias. Cólicas muito exageradas são o principal alerta a endometriose, dor na relação sexual, dificuldades para engravidar, alterações intestinais durante o período menstrual como diarréia ou dor par evacuar, são sintomas que devem chamar a atenção.
A endometriose é considerada pela Organização Mundial da Saúde a principal causa de infertilidade feminina.
Síndrome Ovário Policísticos (SOP) – ovários policísticos é uma desordem reprodutiva, que além de causar irregularidade menstrual, geralmente intervalos muito longos, podem gerar infertilidade. Um dos principais sintomas da SOP são o atraso ou mesmo a ausência da menstruação, estão associados aos ovários policísticos o aparecimento de pêlos no corpo, acne e obesidade.
Cólica Menstrual ou Dismenorréia – é uma doença que manifesta-se durante a menstruação e a grande maioria das mulheres sofre desse mal. As cólicas são muito intensas impedindo de exercerem as atividades habituais, torna-se incapacitante. Um segundo alerta a essa doença é a dor que se 


manifesta durante a relação sexual, dificuldade para engravidar e alterações intestinais ou urinárias durante o ciclo menstrual, nos casos mais avanços a dor ocorre fora do período menstrual.
A dismenorréia apresenta-se em dois tipos: a Espamódica que se apresenta nas mulheres mais jovens e caracteriza-se pela ocorrência de cólicas espaçadas. E a Congestiva que atinge mulheres mais velhas, a dor é mais intensa, pesada e manifesta-se antes do sangramento.
Dores de cabeça, evoluindo para enxaqueca após os períodos menstruais são freqüentes a dor é incapacitante.
Menopausa – Ao contrário do que muitas mulheres pensam a Menopausa não é uma doença é um estágio da vida. É a parada do funcionamento dos ovários, da produção dos hormônios, e sua principal característica é a falta da menstruação. Geralmente ocorre entre 45 e 55 anos, podendo variar até entre os 40 anos sem que seja um problema. As irregularidades menstruais ou mais escassas, hemorragias, podem anunciar a menopausa. Os sintomas mais comuns são ondas de calor, suor noturno, cansaço, alterações no humor, para muitas mulheres uma das fases mais difíceis, tanto no campo físico quanto emocional.
No período da menopausa uma alimentação adequada é essencial, pois com o fim do período fértil, o organismo tende a ficar mais frágil e os alimentos agem suprindo as necessidades.
Osteoporose – caracteriza-se pela fragilidade dos ossos e não é uma doença exclusiva nas mulheres, mas afeta principalmente mulheres no período pós-menopausa pela ausência do hormônio feminino que faz com que os ossos percam cálcio e fiquem porosos. Os riscos maiores são as fraturas causadas na maioria por quedas, as mais comuns são as fraturas no punho, costelas, vértebras e fêmur. Outros fatores que contribuem para o surgimento da osteoporose além da menopausa são baixo peso e estatura, o fumo, sedentarismo, ingestão inadequada de cálcio também influenciam no enfraquecimento dos ossos, ao contrário do que muitos pensam.
Câncer de Colo do Útero – é uma doença que pode ser prevenida com a realização anual do papanicolau que é uma forma de detectação da doença precocemente, estima-se que o câncer de colo do útero seja o terceiro mais comum na população feminina, superado pelo câncer de pele e de mama. A mortalidade pelo câncer está ligada a demora na visita ao médico, quando isso ocorre o câncer já está instalado e em estágio avançado.
O principal causador desse tipo de câncer é o vírus humano papiloma (HPV) que se não identificado na fase inicial pode levar a morte. Fique atenta, pois é uma doença silênciosa em fases mais avançadas o câncer de colo do útero pode se manifestar como sangramentos vaginais que aparecem fora dos períodos menstruais ou após relações sexuais, durante o sexo pode ocorrer dor pélvica.
Cancer de Mama – como no câncer de colo do útero essa doença só avança por falta de prevenção. O câncer de mama é uma doença tratável. Além do exame da mamografia, o auto- exame feito mensalmente pode ajudar a identificar nódulos iniciais, que é normalmente o alerta inicial. Dentre os fatores que levam ao surgimento desse câncer estão às dietas gordurosas e o fator genético que é preponderante. Outro fator a ser observado é o aparecimento desse tipo de câncer em mulheres que nunca tiveram filhos por permanecerem expostas ao estrógeno por mais tempo.
Os sintomas mais comuns são a mudança de cor, enrugamento ou elevação da pele em uma área do seio, mudança no tamanho ou no formato, secreções no bico do seio, surgimento de um ou mais nódulos nas axilas.
DIFERENÇA ENTRE HIPOTIREOIDISMO E HIPERTIREOIDISMO
Hipotireoidismo ocorre em quase 2% da população, sobretudo nas mulheres, é caracterizado pela diminuição na produção dos hormônios pela tireóide.
Seus principais sintomas são: cansaço, falta de apetite, cabelos ásperos com aspecto ressecados, unhas esbranquiçadas, depressão, pele ressecada, raciocínio lento.
Hipertireoidismo em geral é uma doença auto-imune e caracteriza-se pelo contrário ao hipotireoidismo, é o funcionamento excessivo da tireóide que produz hormônios em quantidade exagerada, é mais comum em mulheres de 20 a 40 anos. Os principais sintomas são: emagrecimento, nervosismo e taquicardia, insônia, fraqueza

Nós Amadas sempre temos que nos alertar sobre
Nosso corpo,que é o MAIOR,(ben) que DEUS,nos deu!! 

FONTE : SITE DONA GIRAFFA.
Postar um comentário