ÓLEO MINERAL (PARAFINA )



O óleo mineral caiu em desgraça. Para fazer esse post, que foi uma solicitação da leitora Lidiane, li vários artigos e matérias, médicas e leigas, na intenção de saber exatamente do quê ele está sendo acusado. Depois do sal do xampu e dos parabenos no câncer de mama, agora as baterias se voltaram para esse onipresente derivado do petróleo.
Como o assunto é vasto e polêmico, resolvi incluí-lo na seção de Perguntas Frequentes, penso que, assim, a abordagem  fica mais fácil.

1 - O QUE É E PARA QUÊ SERVE  O ÓLEO MINERAL?
Também chamado de vaselina líquida ou parafina líquida, o óleo mineral é um derivado do petróleo. Existem óleos minerais de uso industrial e medicinal. É produto de baixo custo, usado em larga escala em inúmeros cosméticos e também por via oral, como laxante. O óleo mineral está presente, em concentrações variadas, nos seguintes produtos, entre outros menos conhecidos: Bepantol pomada, óleo Sève, óleo Johnson's, cremes hidratantes, etc. Seria mais fácil dizer onde ele NÃO  está presente.
Uso por via oral - laxante de baixo custo, o uso crônico pode causar, em pessoas com fatores predisponentes, um tipo de pneumonia de difícil tratamento.
Uso tópico (na pele) - Muito utilizado como hidratante por oclusão, (para saber melhor o que é um hidratante por oclusão,  em peles oleosas, a aplicação de óleo mineral, principalmente no rosto, pode provocar ou piorar o aparecimento de cravos (ação comedogênica).

2 - AFINAL, DO QUÊ ELE ESTÁ SENDO ACUSADO?
Vou responder por itens, já que são vários...

2.1 - Suposta ação cancerígena - quando contaminado por uma substância chamada dioxina (essa sim, é um cancerígeno comprovado). Lá no início do post, falei que existem dois tipos de óleo mineral: um para uso industrial e outro medicinal. O de uso medicinal não contem dioxina (pelo menos, não deve conter), visto que é purificado.

2.2 - Causaria artrite (inflamação das articulações) - A matéria que faz essa afirmação não especifica se seria por via oral ou tópica, também não cita qualquer bibliografia, então, fica difícil levar a sério... Mesmo que fosse, penso ser quase impossível exercer esse efeito apenas com o uso sobre a pele, já que o óleo mineral não é absorvido por essa via.

2.3 - Prejudica o meio ambiente - Essa afirmação é verdadeira, pois, como todo derivado do petróleo, sua degradação é difícil e longa. Nos dias de hoje, qualquer coisa que agrida o meio ambiente merece execração pública e pena de morte.

3 - CONCLUSÃO
O óleo mineral é amplamente usado em cosmética desde o início do século XX. É barato e eficiente. 
Por trás de toda essa polêmica, vejo sinais de fumaça marqueteira, aqui e ali. 

É certo que, por razões ambientais, existe forte tendência à substituição do óleo mineral pelos de origem vegetal, indiscutivelmente melhores, porém bem mais caros. 


Postar um comentário